Grelhas de Avaliação

trabalho de Mestrado de Marlene Barral

orientado por Doutor João Gouveia

Enquadramento teórico do projeto

 

Este site faz parte de um projeto de Mestrado da Escola Superior de Educação Paula Frassinetti. Visa compreender e clarificar o conceito de competências e as suas implicações para a avaliação das aprendizagens. Identificar as principais tendências de avaliação de aprendizagens e analisar os métodos de avaliação e os instrumentos disponíveis à luz de uma avaliação centrada em competências. Tem como finalidade apoiar os Professores na conceção de grelhas de avaliação, rubrics, para que estes possam de uma forma simples e intuitiva construir grelhas de avaliação que lhes permitam realizar uma avaliação baseada em critérios e orientada para o desenvolvimento de competências nos alunos.

 

Pode consultar grande parte da fundamentação teórica e revisão da literatura efectuada navegando nos tópicos abaixo.

 

 

 

Parece haver duas vertentes para a utilização do portefólio: a de apoio à aprendizagem e a de avaliação no final de um período. A primeira privilegia a documentação da evolução, do progresso. A segunda cobre as aquisições e realizações do aluno, circunscrevendo-se apenas às mais recentes ©. Estas vertentes correspondem às categorias fundamentais que são definidas na maioria da literatura, best work portfolio, com os melhores produtos do aluno e portfolio de progressão. No entanto, no modo de construção, o autor considera 3 tipologias:

  • O dossier de aprendizagem - Coleção de todos os trabalhos realizados pelo aluno, acompanhados de comentários reflexivos. Esta construção faz-se à medida que o aluno realiza as atividades. Pode falar-se de portefólio de trabalho.
  • O dossier de apresentação - Seleção de certos trabalhos a incluir na coleção. O objetivo deste portefólio é o de levar o aluno a contar um episódio particular da sua aprendizagem. O aluno pode escolher os melhores trabalhos realizados em determinado momento. Pode também descrever a sua progressão numa determinada competência.
  • O dossier de avaliação - Seleção, pelo aluno, dos seus melhores trabalhos (ou uma seleção que lhe seja imposta), realizada próximo do fim de um período de formação. As peças e elementos que contém servem para avaliar uma competência que o aluno deva dominar e saber mobilizar. Este dossier de avaliação pode também servir à avaliação institucional.

Os conteúdos a incorporar no portefólio podem ser combinados entre o professor e o aluno, segundo critérios que ambos definirão, selecionando posteriormente o material que será alvo de avaliação, aquele que melhor representa a evolução do aluno. Esta escolha deverá ser alvo de reflexão e justificação por parte do aluno servindo para autoregular a aprendizagem. Estas decisões envolvem os alunos de forma ativa na sua avaliação. Alves e Machado © sugerem algumas questões reflectivas que os alunos poderão abordar antes e durante a elaboração do portefólio:

  • para que serve o portefólio?
  • quais são os objetivos de aprendizagem e como eles vão condicionar a forma como se vai construir o portefólio?
  • quais são as competências que se pretende trabalhar?
  • qual a planificação e de que recursos se necessita?
  • as tomadas de decisão são justificadas?
  • quais as evidências do trabalho realizado? São da iniciativa do aluno?
  • quais as dificuldade que se encontra?
  • o portefólio está fundamentado?
  • quais os fatores, positivos ou inibidores que estão a afetar o trabalho? Estão registados? Como se vão ultrapassar?
  • a reflexão é sobre o quê? O que se fez de positivo? O desempenho é satisfatório?

Estas perguntas podem ajudar o aluno a construir o seu portefólio, que pode incluir vários elementos: ensaios, textos, desenhos, gráficos, comentários, relatórios, composições, pequenas reações escritas a uma visita de estudo ou a um filme educativo que passou na televisão, testes, trabalhos individuais ou de grupo, trabalhos de casa, cassetes vídeo ou áudio com registos vários, diagramas, reflexões acerca da disciplina, de uma situação problemática ou de qualquer tarefa de aprendizagem, ou resoluções de exercícios e de problemas, entre outros (Fernandes et al, 1994d). Estes elementos refletem o que o aluno aprendeu e funcionam como indicadores do que o aluno conseguiu conquistar.

O portefólio pode agrupar-se em 3 dimensões ©:

  • relativamente a competências - o portefólio deve incluir realizações dos formandos que testemunhem o domínio dos principais recursos a mobilizar bem como da própria competência; são índices de progressão e de realização, testemunhos de desempenho;
  • relativamente ao progresso - o portefólio deve conter descrições, do aluno, de procedimentos e estratégias seguidas para realizar as tarefas relacionadas com os objetivos a atingir, das dificuldades encontradas e dos meios adotados para melhorar (autoregulação);
  • relativamente às perceções e reflexões - deve conter pequenos textos onde o aluno expressa os seus sentimentos, a sua motivação, a sua satisfação relativamente às tarefas realizadas.